segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

MOSTARDAS E O CEMITÉRIO DOS NAVIOS.

O que achas de conhecer uma cidade pacata no interior do estado, com traços arquitetônicos açorianos, uma pequena igreja matriz de nome pomposo, um farol chamado Solidão e com uma infinidade de carcaças de embarcações encalhadas em suas praias, lembrando um verdadeiro cemitério de navios? Conheça neste post, um pouquinho da cidade de Mostardas, cujo  o acesso se dá, pela antiga Estrada do Inferno e cujas as praias menos conhecidas, se encontra até areia movediça.



O convite para conhecer Mostardas, partiu de meu irmão que estava prestando serviço na cidade, abrindo-me esta oportunidade.
Estavam no passeio, além de nós dois, sua esposa Luciana, meu sobrinho Eduardo e minha mãe. 
Mostardas é uma cidade pacata, localizada no istmo entre a Lagoa dos Patos e o oceano Atlântico, a uma latitude de 31º 06' 25" ao sul e a uma longitude de 50º 55' 16" à oeste, no litoral sul do Estado.

COMO CHEGAR:
Partindo de Porto Alegre em direção à Viamão e Cidreira, através da RS -040, até Capivari do Sul, são 90 km onde se entra à direita, pela RS-101 ao lado do posto da policia rodoviária, até Mostardas, mais 120 Km. 
A RS-101 que dá acessoa à cidade, conhecida por Estrada do Inferno (pela dificuldade de trafegar antes de seu asfaltamento), estava coberta de buracos em alguns trechos, dificultando a viagem e dando a impressão de que a distancia era ainda maior, mas depois de alguma doses de paciência, chegamos.

ORIGEM DO NOME:
Não há uma explicação documentada e oficial à respeito; porém, sugere-se que o município tenha recebido este nome, por causa da grande quantidade do vegetal comestível encontrado na região (mostarda). Aventam também, que sobreviventes de um navio francês chamado Mostardas, teriam se abrigado naquela região influenciando a escolha do nome ao município, pelos moradores da época.



IGREJA MATRIZ SÃO LUIZ REI DE FRANÇA:
Situada no centro da cidade em frente à Praça Luis Chaves Martins, a pequena igreja de nome pomposo, foi fundada em 1773, construída em estilo barroco, com altar mor no estilo neoclássico, datado de 1817, é uma das cinco igrejas construídas neste estilo no Brasil.



DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DA CIDADE:
Mostardas começou a desenvolver-se com o asfaltamento da Estrada do Inferno (RS 101), o que ocasionou o crescente aumento do turismo e o melhor escoamento da produção de madeira pinus. Destaca-se pelo artesanato de pura lã com os famosos cobertores mostardenses, além da produção de arroz e cebola, na pecuária pelo gado bovino para produção de leite, carne, e ovinos para produção de lã.



TIPO DE ARQUITETURA:
As casas no centro da cidade são modestas e com fortes traços de influencia açoriana, verificado em algumas coberturas com telhas de barro feitas artesanalmente e telhados com mais de uma beira. Na culinária, religiosidade e manifestações folclóricas a forte presença da influencia do negro e do índio. 



NO CAMINHO DO LITORAL:
Mas o que mais me emocionou no passeio, foi a decisão de termos retornado para casa, pela beira da praia, mesmo com o risco do carro atolar na areia. De Mostardas até o mar, nos deslocamos por uma estradinha de terra vermelha, com plantações infindáveis de pinus até se abrir numa paisagem desértica de cômos de areia, planaltos e planices formadas pelo deslocamento da areia com o vento. 



Perdíamos constantemente o rumo da estrada e cuidávamos para não nos afastarmos da rota e atolar o carro nas conhecidas areias movediças do lugar. Parecia não acabar mais o deserto Mostardense e a cada momento, uma paisagem nova nos chamava a atenção, como um bando de flamingos rosas que encontramos pelo caminho, até localizarmos o mar. Nesta região as marés e os ventos mudam sem aviso no município, fazendo existir um verdadeiro cemitério de navios naufragados em suas praias.

CEMITÉRIO DOS NAVIOS:
Como nosso caminho agora era pela beira do mar, nos deparamos com varias revoadas de maçaricos, assim como a triste imagem de tartarugas gigantes, golfinhos mortos, e uma baleia já em estado avançado de decomposição, na beira da praia. A praia é também cheia de carcaças de navios que encalharam no passado formando um verdadeiro cemitério.



MOUNT ATHOS:
De todas as carcaças de navios encalhados que encontramos, talvez o maior seja Mount Athos de 164 metros, naufragado em Março de 1967, quando carregava adubos ao Porto de Rio Grande. O que sobrou do navio esta exposto à beira do mar, à 15 km do Farol da Solidão, numa forma de aviso sinistro.
Moradores nos contaram, que durante à noite, as pontas do que sobrou do navio, provoca susto nas pessoas que por ali passam, dizendo se parecer com um grande mausoléu. AQUI falo um pouco mais sobre ele.



FAROL DA SOLIDÃO:
Possui 21 metros de altura e quatro contrafortes longitudinais. De cor vermelha fica localizado à cerca de 70 km à nordeste do balneário de Mostardas. A primeira instalação de um farol no local, data de 1916. O farol da Solidão não está aberto para visitações. Uma pena!.. Com algumas pequenas construções a sua volta, não parece mais fazer jus ao seu nome.



Encontrar tantos animais marinhos mortos na beira do mar, nos causou muita surpresa durante o trajeto. Nos perguntávamos a razão de tudo aquilo. Era uma constatação muito triste e por mais que andávamos, o trajeto parecia infindável, até encontrarmos um acesso de volta a estrada RS -101, no meio de tanta areia. 




PECULIARIDADES:
Toda esta região marítima que costeia a cidade de Mostardas, Tavares, Bojuru e São Jose do Norte é sem duvidas, de extrema beleza e peculiaridade. É uma região que se diferencia do resto do Estado por sua diversidade marítima e aves migratórias que partem das regiões mais distantes do mundo, para se reproduzirem no PARQUE NACIONAL DA LAGOA DO PEIXE.
Os ventos fortes que sopram no litoral, transformam a cada instante a natureza e os cômos de areia, em belíssimas esculturas naturais.
Esta enorme área que estende-se pelo litoral, constitui o maior vazio demográfico do estado do Rio Grande do Sul. 
Com uma economia frágil e desorganizada, fundamentada no setor primário e secundário, a sociedade local padece de enormes carências sociais.

DICA GASTRONOMICA:
Restaurante Ed Mundo's. O prato a "Moda da Casa" feito com o peixe papa terra é a especialidade da casa. O restaurante de aspecto simples está localizado na Rua Bento Gonçalves, 906 Tel.(51) 3673.1969 - Mostardas.

ARTESANATO LOCAL:
Quiosque da Praça Municipal: Artesanato típico da região. Casacos, blusões cobertores e mantas de lã mostardense, no Quiosque da Praça Municipal em Mostardas.
Até a próxima viagem!

3 comentários:

  1. Passeio muito bom fiz recentemente realmente é um espetáculo á parte, parabéns pelo blog.


    Challengerrs.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Luis pelo diário de bordo, querida Mostardas, minha querência.

    ResponderExcluir
  3. Alguem sabe onde era ou é o Loteamento Leblom, em quintão, deve ser antigo, entrar em contato pelo e-mail: serigrafiadolima@yahoo.com.br

    ResponderExcluir

Você pode fazer seu comentário clicando sobre o título da postagem onde será direcionado para Conversa Fiada, com espaço para a publicação da sua opinião. Ela será acolhida com atenção e carinho e sempre que possível respondidas.

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...