terça-feira, 11 de dezembro de 2018

DE POMBOS E DE GATOS

Deus sabe que, entre gatos e pombos, eu sou francamente pela primeira espécie. Acho os pombos um povo horrivelmente burguês, com o seu ar bem-disposto e contente da vida, sem falar na baixeza de certas características de sua condição, qual seja a de, eventualmente, se entredevorarem quando engaiolados.
Vinicius de Moraes

terça-feira, 27 de novembro de 2018

MADAME SATÃ


Madame Satã, figura sinistra e envolvida em mistérios, temida e lendária das noites boemias do Rio de Janeiro; considerado uma referência na cultura marginal urbana do século XX. Descubra um pouco mais sobre este homem de personalidade tão complexa.



Madame Satã, foi uma Drague Queen brasileira, vista como personagem emblemática da vida noturna e marginal carioca na primeira metade do século XX.
Criado numa família de dezessete irmãos, no interior de Pernambuco, diz-se que João Francisco dos Santos (seu verdadeiro nome), chegou a ser trocado, quando criança, por uma égua. Quando jovem foi para Recife, posteriormente, mudou-se para o Rio de Janeiro, indo morar no bairro da Lapa. 
Analfabeto, o melhor emprego que conseguiu foi o de carregador de marmitas, embora houvesse o boato de que também tenha sido cozinheiro. 
Considerado um marginal, acredita-se que o fato de ter sido negro, pobre e homossexual, tenha contribuído para se tornar o ser complexo que foi.
Era frequentador assíduo do bairro onde morava (conhecido como reduto carioca da malandragem e boemia na década de 20), onde muitas vezes trabalhou como segurança de casas noturnas e cuidava que as meretrizes não fossem vítimas de estupro ou agressão.
Foi preso várias vezes, chegando a ficar confinado ao presídio da Ilha Grande, 16 anos por assassinato de um policial em 1928 .
Frequentemente, Madame Satã enfrentava a polícia, sendo detido por desacato à autoridade diversas vezes. Considerado exímio capoeirista, lutou por várias vezes contra mais de um policial, geralmente em resposta a insultos que tivessem como alvo mendigos, prostitutas, travestis e negros. A ficha criminal ao longo de sua vida é vasta: No total foram 27 anos e 8 meses de prisão, 13 agressões, 4 resistências à prisão, 2 furtos, 2 recepções de furtos, 1 ultraje público ao pudor, 1 porte de arma, resistência à prisão entre outros.

COMO SURGIU O APELIDO:
Dotado de uma índole irônica e extrovertida, ele era encantado pelo carnaval carioca. Foi assim que, em 1942, ao desfilar no bloco de rua Caçador de Veados, surgiu seu apelido. O transformista se apresentou com a fantasia Madame Satã, inspirada em filme homônimo de Cecil B. De Mille.
É considerado uma referência na cultura marginal urbana do século XX. por representar o desejo de sobrevivência que se transformou na malandragem da época"
Para o acadêmico norte-americano James N. Green: “Ainda que Madame Satã exibisse uma imagem de valente, sua reputação desafiava a associação tradicional do malandro com a masculinidade rude da classe trabalhadora. Em vez disso, evocava uma figura sinistra e misteriosa, um tanto andrógina.”  E é esta caracteristica diferente, de meio homem, meio mulher, que fascinou a tantos. tornando Madame Satã uma lenda. O malandro carioca fora tradicionalmente conhecido por sua masculinidade e virilidade, ao identificarmos e mapearmos a figura de Madame Satã, temos o malandro representado por um homossexual que conseguia traduzir perfeitamente todas as características da malandragem, junto com uma "feminilidade" própria. Sua história não inspira fragilidade pelo fato de ser homossexual, mas essa identidade se completa quando escutamos que era um exímio capoeirista de “navalha no pé”, o que torna sua figura verdadeiramente espantosa.
  • Em 1971, concedeu uma polêmica entrevista ao jornal O Pasquim.
  • Ele teve publicado em 1972 o livro "Memórias de Madame Satã".
  • Em 1974 foi lançado o filme Rainha Diaba, que conta a vida de um transformista marginal, interpretado por Milton Gonçalves, livremente inspirado em Madame Satã.
Nasceu em 25 de Fevereiro de 1900, 12 anos apos a abolição da escravatura e faleceu em abril de 1976 logo após a sua última saída da prisão, vítima de um câncer de pulmão.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

VERONA


Verona é uma cidade italiana da região do Vêneto, banhada pelo rio Adige e está a uns 30 quilômetros do Lago de Garda e ha 1 hora de carro de Veneza. Verona ficou famosa por ter sido o local onde a peça Romeu e Julieta escrita por William Shakespeare, é passada e por isto recebeu o apelido de CIDADE DOS NAMORADOS. Outra referencia importante é que nesta cidade nasceu Isotta Nogarolla
Isotta, foi uma humanista, intelectual e autora de um vasto leque de trabalhos, que abrangem a sua paixão pela educação e pelos direitos femininos. A obra de Isotta Nogarola foi responsável por implantar um modelo que seria seguido pelas mulheres letradas, que nos séculos seguintes se debateram para poder expressar as suas ideias. Na sua obra mais conhecida, "Diálogo sobre Adão e Eva", ela discute o mito de Eva, ou o mito do pecado original, inaugurando um debate que se arrastou durante vários séculos na Europa, a respeito do gênero e da natureza da mulher.
Verona, ao que parece, foi fundada pelos Celtas e mais tarde, foi uma colônia romana em 89 a.C., com o nome de Augusta. Foi capital de ducados durante a Reino Lombardo. Em 145 foi uma colônia de monges Beneditinos.
Verona chegou a ostentar a supremacia artística de toda a Itália, sendo sede de uma escola pictórica onde se destacou Paolo Veronese, importante pintor maneirista da Renascença italiana.

O QUE VISITAR EM VERONA:

Piazza Brà: 
Considerada uma das maiores e mais famosas praças da cidade, ela abriga uma enorme variedade de pontos turísticos importantes, o que a torna um ponto de parada obrigatória, para qualquer visitante. Na praça se concentram diversos cafés, bares, sorveterias e restaurantes com mesas ao ar livre, para apreciar a movimentação de pessoas que por ali circulam visitando lojas e fazendo compras dos mais variados preços.


Arena de Verona:
Ainda na Piazza Brà está situada a Arena de Verona que lembra o coliseu em Roma. Trata-se de uma gigantesca edificação de tirar o fôlego. Construída há 2 mil anos, no fim do reinado de Augusto, é a terceira maior arena da Itália, depois do Coliseu e do anfiteatro de Capua (onde se passa o seriado Spartacus).


É na Via Cappello 23, no centro histórico de Verona que está localizada a Casa de Julieta (hoje um museu), que se concentra o maior numero de turistas que visitam a cidade. A mais famosa história de amor da literatura, Romeu e Julieta, escrita por Shakespeare entre 1591 e 1595, se passa na cidade italiana de Verona, que abraçou seu posto e criou roteiros inspirados na trama.
A casa é aberta a visitação e os turistas podem, inclusive, subir até a sacada. Na parte de baixo, no pátio externo, há uma estátua de bronze de Julieta e diz a lenda que todo visitante que tocar seu seio direito terá felicidade no casamento.
Outras superstições se espalham pelas paredes da entrada: é ali que são depositadas mensagens e cartas de amor coladas com chiclete ou escritas à mão no próprio muro.

Outro ponto de visitação é a Tomba di Giulietta, nos subterrâneos do antigo Convento de San Francisco al Corso, que também abriga uma galeria de arte e um jardim lapidar. O complexo é composto por uma igreja construída em 1230 e um convento, onde foi encontrado um sarcófago antigo que, segundo a lenda, tornou-se o túmulo de Julieta.

Verona é cheia de vida, de ruas estreitas e enfeitadas com floreiras nas janelas e sacadas de prédios antigos e coloridos, que parecem ter saído de um livro ficção. Praças gramadas para sentar e apreciar o movimento da cidade e sua beleza arquitetônica.
Verona é sem dúvidas um destino a ser visitado e sem medo de decepções.
Até o próximo passeio!

domingo, 24 de junho de 2018

SIRMIONE E O LAGO DE GARDA



O Lago de Garda (em italiano: Lago di Garda), é o maior lago da Itália e localiza-se no norte do país entre as regiões da Lombardia (província de Bréscia), Vêneto (província de Verona) e Trentino-Alto Adige (província de Trento), estendo-se por uma área de cerca de 370 km² a uma altitude de 65 metros sobre o nível do mar. Simplificando, dá para dizer que ele está localizado entre Milão e Veneza, bem próximo de Verona. 
É de uma beleza natural estupenda, sua cor azul turquesa é de impressionar e tem às suas margens, os Alpes, as belas cidades e atrações que podem ser exploradas em apenas um dia.
A maior ilha do lago é a Ilha Del Garda, localizada nas proximidades da Comuna de São Felice Del Benaco, que no passado serviu como cemitério no Império Romano. Ou seja, o lugar é fantastico pois oferece todo o tipo de lazer, beleza, tranquilidade e muita história.


SIRMIONE: 
É uma cidade bem antiga, cujo os primeiros vestígios de presença humana, são datados de V ou VI a.C. É muito provável que tenha sido o balneário das famílias ricas de Verona, a principal cidade romana no nordeste da Itália. Seu acesso se dá pelo Castelo Scaligero, porta de entrada da cidade. O castelo fortificado foi construído no século 13, em uma posição estratégica e utilizado como forma de defesa da cidade medieval. Cercado por um fosso e ponte levadiça, tinha o controle de quem entrava  e saía da cidade.


Além de seu charme peculiar, por estar debruçada nas margens de cor azul, do Lago de Garda, quase todas as construções, são em estilo medieval. O centro histórico é aconchegante e colorido, com uma variedade de bares, restaurantes com mesas na rua e lojas para o deleite de alguns turistas.
Em Sirmione, os visitantes também podem conhecer a Grotte de Cattulio, que nada tem a ver com gruta, mas ruínas de uma vila romana, onde possivelmente viveu, Gaius Valerius Catullo, poeta romano do século I a.C, reconhecido por seus versos sofisticados sobre o cotidiano e bem controversos para época.


A cidade também se tornou popular devido às termas descobertas perto das ruínas romanas. As águas brotam de dentro do lago, a uma temperatura elevada, formando bolhas na superfície e são usadas para o tratamento da saúde.
A caminho da Grotte de Catullo, na parte mais alta está o Parque Tomelleri, situado entre as oliveiras e com vista panorâmica para o lago. O Parque Maria Callas conhecido também como Parco Arena Callas, também fica nesta área da cidade. O parque é uma homenagem a cantora lirica Maria Callas que viveu na cidade entre 1950 à 1959.
Sirmione destaca-se por ser um balneário de excelente  infra estrutura para acolher, moradores, visitantes das proximidades e turistas que buscam praias, ambientes para o descanso e uma tipica vida social nos moldes italianos durante o dia e a noite.


Você pode se hospedar no Centro Histórico da cidade, mais badalado é claro, ou em Colombare di Sirmione, uma aldeia a 0,25 quilômetros de distancia do centro de Sirmione, onde os preços são mais ascensíveis.
Sirmione era fonte de inspiração para artistas e escritores que frequentavam e moravam na cidade, entre eles a cantora lírica Maria Callas, Dante Alighieri e a escritora inglesa, Naomi Jacob.

Até o próximo passeio!

sábado, 16 de junho de 2018

FLORENÇA


Não é a toa que Florença é considerada uma das cidades mais belas do mundo e também o berço do Renascimento italiano, nela nasceu, Dante Alighieri, autor da Divina Comédia, que é um marco da literatura universal, mas também atraiu, grande leva de escritores, artistas, cientistas como Galileu, Maquiavel, Leonardo da Vinci, Michelangelo, Donatello, Boticelli.
De acordo com a Unesco, a Itália concentra 60% do patrimônio artístico do mundo e metade dessas obras estão lá.
Florença é a grande referência do despertar artístico e cultural dos séculos XV e XVI rumo ao Renascimento. 
A cidade tem origem num antigo povoado etrusco, e desde o inicio do seculo XV até meados do seculo XVIII, foi governada pela família Médici. 
Localizada as margens do Rio Arno, a cidade com mais de 2 mil anos, é repleta de casarões, monumentos, igrejas e museus no centro histórico, que faz da cidade um dos maiores exemplares de beleza da Europa e do mundo.


Assim que chegamos na cidade, eu e meus colegas de viagem, fomos deixados nas proximidades do centro histórico, para incursionarmos à pé todos os cantinhos surpreendentes da cidade. As ruas repletas de casarões centenários, onde funcionam lojas, relojoarias, sorveterias, cafés, mercadinhos, bodegas, se abrem para praças monumentais com  chafarizes, enormes esculturas, museus, igrejas, pontes. E por falar em pontes, não deixe de visitar a mais famosa delas, a Ponte Vecchio.


Ponte Vecchio:
Construída sobre o Rio Arno em 1345, para substituir uma de madeira feita ainda na época do Império Romano, foi a unica que não foi destruída durante a II Guerra Mundial, por determinação de Adolf Hitler. Em cima da ponte passa o Corredor Vasariano, também chamado de: O Percurso do Príncipe.



Percurso do Príncipe:
No ano de 1565, o Grão Duque Cosme I, por ocasião do casamento de seu filho herdeiro com Giovana d'Austria, mandou construir um corredor aéreo, unindo o Palazzo Vecchio na Piazza della Signoria, sede do Governo e antiga residência da família Medici ao Palazzo Pitti.
O Corredor Vasariano era antes de tudo, um projeto para demonstrar o poder e a grandeza do ducado assim como vantagens. O corredor é uma passagem aérea, que permitia que a família Médici se locomovesse com segurança e sem necessidade de guardas armados e consentia ainda, uma fuga rápida em caso de necessidade. O Corredor foi construído em tempo record, menos de seis meses.



O Palazzo Pitti, Foi residência urbana de Luca Pitti, um banqueiro florentino, amigo de Cosme de Médici. Foi comprado em 1539 pela Família Médici, para servir de residência oficial dos Grandes Duques da Toscânia. Já alojou importantíssimas famílias para além dos Médici, como os Lorena, os Bourbon, os Bonaparte durante sua ocupação na Itália, os Saboia, o Rei Victor Emanuel II e seu neto Vítor Emanuel III que doou o palácio à nação em 1919.





Piazza della Signoria é a praça central de Florença, construída em forma de L e onde localiza-se o Palazzo Vecchio (Palácio Velho), construído no final do século XIII para abrigar o governo da cidade. Na praça aglomera-se numerosos turistas para fazer fotos, do que é um verdadeiro museu a céu aberto e onde é possível admirar belíssimas esculturas (algumas cópias e outras originais) que representam o que foi o poder político da cidade.


Loggia della Signoria: é um monumento histórico de Florença , localizado na Piazza della Signoria à direita do Palazzo Vecchio. A construção remonta ao período entre 1376 e 1382, É um elemento arquitetônico aberto (como um pórtico) e foi usada para sediar as numerosas assembleias públicas e cerimônias oficiais da República Florentina na presença do povo.
A Loggia della Signoria (também chamada de Loggia dei Lanzi), foi construída no século XIV e abriga esculturas romanas antigas, maneiristas e neoclássicas.


Basílica de Santa Croce: Santa Croce é a mais importante igreja franciscana de Florença, também conhecida como o Templo das Glórias Italianas por causa dos túmulos de personagens ilustres que se encontram no seu interior. Nesta basílica repousam Michelangelo, Galileu, Maquiavel, Rossini, Ugo Foscali, entre outros. Importante também o ciclo de afrescos feito por Giotto e seus seguidores, o crucifixo de Cimabue e as obras de Donatello.

Catedral de Santa Maria del Fiore: é o "Duomo" de Florença e está localizada na praça homônima. Era já em 1971 a quinta igreja da Europa em grandeza, depois da Basílica de São Pedro, da Catedral de São Paulo, da Catedral de Sevilha e da Catedral de Milão. Possui 153 metros de comprimento e 90 metros de largura no transepto, enquanto o tambor da cúpula possui 54 metros. É tão grande que pode acomodar até trinta mil pessoas,
Seu revestimento externo é um mosaico em mármores coloridos em estilo neogótico, com uma volumetria dinâmica e harmoniosa, em mármores brancos de Carrara, verdes de Prato e vermelhos de Siena, de acordo com o projeto original de Arnolfo.
Sobre a porta de entrada há um relógio colossal com decoração em pintura de Paolo Uccello, e acertado de acordo com a hora itálica, uma divisão do tempo comumente empregada na Itália até o século XVIII, que dava o por-do-sol como o início do dia.


O Batistério de São João: É um prédio religioso  localizado no Piazza del Duomo, a oeste da basílica Santa Maria del Fiore. Acredita-se que é o mais antigo prédio da cidade e famoso por suas magníficas portas de bronze. As portas agora no Batistério são cópias das originais que foram removidas em 1990, porque estavam entrando em estado de deterioração. As portas originais estão no Museu Opera del Duomo, preservadas em contêineres com nitrogênio.
Michelangelo se referiu a essas portas como Os Portões do Paraíso, nome que permanece até hoje. A obra tem 5,20 metros de altura por 3,10 de largura e 11 centímetros de espessura.


Mas voltando a o batistério: Por um longo tempo, acreditou-se que o batistério era um templo romano dedicado a Marte, contudo, essa era uma ideia errônea. Escavações no século XX mostraram que o Batistério era uma torre de guarda, parte de uma muralha que protegia a cidade. A construção mais próxima à atual foi feita e consagrada em 1059 pelo Papa Nicolau II. Sua construção octogonal, simboliza o oitavo dia (octava dies), o tempo da Ascensão de Cristo. Simbolizava a vida eterna, que é dada pelo batismo.


A Galleria dell'Accademia: É o segundo museu mais visitado de Florença. Possui uma grande coleção de pinturas, algumas não tão importantes, outras sim, mas o carro chefe são as obras de Michelangelo, os prisioneiros e o famoso David, herói bíblico com 5,17 metros de altura.
Originalmente encomendada como parte de uma série de outras estátuas de profetas e heróis bíblicos, David estava cotado para decorar uma das fachadas de Santa Maria del Fiore. No entanto, após sua conclusão, a escultura foi posicionada em frente ao Palazzo della Signoria, sede da governadoria de Florença, onde foi revelada ao público oficialmente.


Por conta da natureza heroica representada, a estátua simbolizou o sentimento de liberdades civis que dominava a República de Florença à época. Os olhos de David, com semblante sério e cauteloso, estavam posicionados em direção a Roma. Em 1873, a escultura foi transferida para o interior da Galeria da Academia de Belas Artes enquanto a praça pública recebeu uma réplica em seu lugar.
Florença é uma cidade linda e com uma infinidade de coisas para se ver, experimentar e sentir. Esta pagina não seria o suficiente para descrever detalhadamente minha experiencia por lá, então eu aconselho, se surgir a oportunidade de conhece-la, não perca tempo, você não irá se arrepender!
Outras dica: Visite o Mercado Publico de Florença, alguém me disse que só conhecemos de verdade uma cidade, quando conhecemos seu mercado publico. No andar superior existem bares, restaurantes que servem deliciosos almoços, acompanhados de vinho ou água, o verdadeiro sabor de Itália.

**Uma dica importantíssima que reforçamos para todos que estão planejando ir à qualquer país da Europa é que não se esqueça que fazer um Seguro Viagem Internacional é obrigatório para viajar para lá.

Até a próxima viagem!



domingo, 10 de junho de 2018

ASSIS.




Assis é uma cidade situada numa colina na região da Umbria, Província de Perúgia, no centro da Itália, famosa especialmente por ser a terra natal de São Francisco de Assis, criador da Ordem dos Franciscanos e de Santa Clara, que pertencia a nobreza e decidiu abrir mão de tudo que possuía, seguindo os preceitos de São Francisco.
Santa Clara fundou o ramo feminino da Ordem Franciscana, também conhecido por "Damas Pobres" ou Clarissas e viveu na prática e no amor da mais estrita pobreza.
O vilarejo atrai milhares de turistas anualmente, graças ao grandioso patrimônio artístico, arqueológico. A própria figura nobre e caridosa destes santos, fez com que este município durante os séculos, se tornasse um símbolo de paz e um estimado ponto de encontro e peregrinações, para quem reconhece a religião católica.
É possível, Visitar Assis, saindo de Roma de trem ou de ônibus, fazer uma visita de um dia, voltando à capital italiana no fim da tarde.
Não é permitido entrar no centro histórico de carro, somente moradores e táxis tem autorização. Existe um estacionamento na “parte baixa” (e mais perto da Basílica de São Francisco de Assis): o Parcheggio Saba. Ele é o primeiro a ficar lotado.


Situada no alto de uma colina e em estilo medieval, a cidade parece uma fortaleza. Prepare-se para subir, subir, subir, seguir por ruelas estreitas e sinuosas, enfrentar degraus e subir mais um pouco. No final desta escalada meio cansativa, ninguém se arrepende de parar, tomar fôlego e admirar as magnificas construções em pedra, datadas do século XII e XIII e algumas floreiras nas janelas que encantam olhares.


Mas o grande encontro de visitas e peregrinações em Assis, se dão no centro histórico e nas basílicas Alta e Baixa. A Baixa, mais antiga, do século 13, possui vitrais belíssimos, além de afrescos atribuídos a Maestro delle Vele, que trabalhou com Giotto. Na cripta estão os restos mortais de São Francisco de Assis. 
A Basílica Alta, um pouco mais recente, mas também do século 13, possui um impressionante conjunto de afrescos, que retratam a vida do santo, protetor dos animais. 
Não deixe de visitar também a Basílica de Santa Clara (Santa Chiara), a santa que, tal como São Francisco, renunciou à vida em uma família abastada, para se dedicar à vida espiritual e a pobreza.
As igrejas foram construídas no século XIII, por ordem do Papa Gregório IX – e são verdadeiras obras-prima da arquitetura e também um dos tesouros da arte sacra italiana.


Depois de visitar as Basílicas e apreciar o clima medieval e bucólico do vilarejo, seguindo pela Via San Francesco chega-se à Praça del Comune, onde está o Templo de Minerva (antigo santuário romano do século I a.C.). O Templo de Minerva, antes de se tornar um monumento religioso, foi um tribunal que abrigava no subsolo as celas da prisão. A clássica fachada é elegante e seu interior é decorado com características barrocas do século XVII.
Para recepcionar os turistas e peregrinos, a cidade possui diversos restaurantes e (osterias) que são lugares onde servem vinho e comida simples.
Assis possui uma energia que desperta nas pessoas, grandes emoções. Minha amiga e colega de viagem conta, que quando subiu as escadarias para o centro histórico, sentimentos inexplicáveis tomou-lhe a alma de tal forma, que não pode conter as lágrimas.
Até o próximo passeio!

sábado, 2 de junho de 2018

SIENA


Num muro de pedras eu parei para descansar e apreciar a beleza da cidade em estilo medieval, murada, construída sobre uma íngreme colina, cercada por vinhedos na região da Toscana.💗


Sabe o que eu pensei, recostado naquele muro de pedras que protege a cidade, enquanto tomava fôlego?.. Que forças maiores, tinham me presenteado de estar ali, dando-me a chance de conhecer um lugar único, com sua história, cultura e forma de cruzar as cortinas do tempo, de uma jeito tão singular.


A sensação é que esta cidade ultrapassou o tempo, sem que nada ou que pouca coisa a mudasse de fato. Siena é esteticamente extraordinária e mexeu com todos os meus sentimentos e com os que ali estavam presentes, me deixando boquiabertos com sua energia e beleza inigualável. 😍


A cidade se diz, ter sido fundada por Aschio e Senio, filhos de Remo, um dos fundadores lendários de Roma, lembra?.. e assim, seu emblema (a bandeira) é a loba amamentando Rómulo e Remo.



A beleza de Siena pode ser apreciada em alguns dias, se você tiver mais tempo, ou em um único dia se esse tempo for escasso. A cidade é pequena e pelo menos o que há de interessante, dá para ser visto e apreciado sem maiores correrias. Tome um café nas cafeterias locais. Visite as lojinhas de cerâmica e louças pintadas a mão. São esplendidas!


As cores ocre e cinza das fachadas, manchadas pelo tempo, faz com que a paisagem da cidade seja intimista, bucólica, mas agradável de assistir. Freud explica isto!..
Siena não mudou muito desde a idade média, até os dias atuais e caminhar por suas ruas é uma espécie de viagem no tempo, um olhar para um passado ainda com registros vivos de toda a sua história de existência.


Palio di Siena
A grande atração da cidade é uma das mais antigas corridas de cavalos do mundo, o Palio, (não, não é o Siena carro da Fiat. kkkkk). São duas competições, em julho e agosto, que movimentam toda a cidade, envolvida em disputas dos diferentes bairros.


Caso esteja interessado em ver o evento, tenha em mente que os hotéis precisam ser reservados com muita antecedência. Neste quesito, vale a pena se hospedar em cidades da região e chegar cedo a Siena, senão não conseguirá um bom lugar para assistir à corrida. A praça fica lotada para assistir ao evento.


COMO CHEGAR A SIENA:

O mais conveniente é optar pelos ônibus, porque a rodoviária (Piazza Gramsci, 0577/204-246) é mais central do que a estação ferroviária. Ali chegam ônibus vindos de Florença, San Gimignano, Montalcino, Montepulciano e até do aeroporto de Pisa. Siena também recebe ônibus de Roma e Milão. Trens diretos (www.trenitalia.ci  que ligam a cidade a Florença.

COMO CIRCULAR NA CIDADE:

Depois de cruzar o antigo muro da cidade, e andar por ruelas estreitas e sinuosas, percebe-se dentro da cidade amuralhada, com todas as principais atrações turísticas. Assim, você aproveita para caminhar pelo Centro Histórico, listado pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade e se deliciar na historia desta cidade tão singular.



PRINCIPAIS ATRATIVOS:

Piazza del Campo em Siena
Logo que você chega no centro histórico da cidade, se depara com Piazza del Campo, uma praça enorme, com formato inclinado, onde varias pessoas costumam se reunir para conversar, tomar banho de sol e apreciar a paisagem. A Praça tem esta inclinação para que os espectadores de corridas de cavalos tenham uma boa visibilidade durante as disputas


Nesta mesma praça encontram-se diversos restaurantes, cafeterias, lanchonetes, galerias de arte, lojas de artesanato, cerâmicas coloridas e uma bela fonte: A Fonte de Gaia, que a noite fica iluminada e ha alguns metros, no Piazza del Duomo, a catedral de Siena em estilo gótico romântica. De dia, alem de turistas, a Piazza del Campo, se enche de pombos que disputam espaço, pra alegria de uns e desespero de outros.



Catedral de Siena:
De fato, quem passa diante da catedral, inevitavelmente pára para admirar todo o seu esplendor representado nas cores rosa (mármore rosado proveniente de Siena) e verde escuro que parece preto, (originário de Prato, cidade nas imediações de Florença), além da grandiosa fachada repleta de estátuas de santos e de mosaicos que representam os principais eventos bíblicos.
Construída entre 1215 e 1263 no local de uma estrutura antiga, tem a forma de uma cruz Latina, um cúpula e uma torre de sinos. O interior são feitos de mármore preto e branco, as cores simbólicas de Siena, derivadas dos lendários cavalos dos fundadores da cidade, Senius e Aschius.


Pallazzo Pubblico:
Mas o prédio mais imponente é o Pallazzo Pubblico, a câmara municipal. Nele há um museu com várias pinturas que retratam o Governo dos Nove, nove pessoas eleitas pelo povo e que não eram nobres, para governar a cidade por 2 meses. Legal né?.. Na mesma entrada do museu, é possível subir na Torre del Mangia, onde fica o sino. Essa torre foi construída por volta de 1340 e possui 88 metros.


Ah, e se você estiver passando por Siena, não esqueça de experimentar o pan forte, uma sobremesa, tradicional, tipo torta ou bolo, de sabor picante, que contém mel, açúcar, frutas, nozes e outras especiarias como canela e cravo moído. A origem deste pão delicioso, remonta às cruzadas na Turquia. 🙏

Até a próxima viagem!

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...