quarta-feira, 10 de junho de 2015

A CRUCIFICAÇÃO VISTA COMO UM DESRESPEITO.


Ééééé, depois da celeuma causada pelo comercial de O Boticário, no horário nobre da TV aberta, onde casais do mesmo sexo, trocam-se presentes em comemoração do Dia dos Namorados, parece que chegou a vez da alegoria representada por uma atriz transgênero, que desfilou crucificada em um dos trios elétricos da Parada do Orgulho Gay em São Paulo, desafiando algumas autoridades religiosas, seus seguidores fanáticos e simpatizantes.
A primeira pergunta que eu me faço é: Será que os organizadores deste "Trio Elétrico" imaginavam que este manifesto, daria tanto pano pra manga?
A segunda pergunta é a seguinte:  O problema é somente a cruz, ou o fato de ser uma transgênero presa a ela? Ja que o uso da crucificação para representar uma opinião, um ponto de vista, não é, nem nunca será um fato novo. Por exemplo:


Protestos contra a presidenta Dilma 
na Avenida Paulista...


A imagem da crucificação 
para representar 
o brasileiro e 
seus altos impostos...



Neymar crucificado, com a justificativa de que 
tinha sido pego para Cristo pelos críticos, 
que o acusavam de só cair em campo...




Por acaso alguém lembra de alguma dessas publicações acima, serem tão criticadas e criarem tanta discussão em torno do que muitos chamam de profanação a imagem sagrada de Cristo? 
Acontece é que a hipocrisia de algumas pessoas são tão grande, que elas se utilizam de falsos valores morais e religiosos, para atingirem qualquer um, que  não reze em suas cartilhas. 
A imagem de uma trans crucificada, nada mais me parece do que uma metáfora, para denunciar a violência a que todos os gays e trans  sofrem nesse país de preconceituosos e discriminadores. Acho inclusive que os grupos LGBT, deveriam jogar mais pesado nestas campanhas e manifestações, que objetiva o reconhecimento de uma classe oprimida e banalizada, por todos os segmentos da sociedade.
Eu me lembro de um acontecimento escroto do passado, que resolvi contar aqui e agora, por me parecer oportuno:
Certa vez, um conhecido meu, ficou extremamente ofendido ao ligar a TV e ver a cantora Fafá de Belém, cantando o Hino Nacional melodicamente diferente, do que sempre se ouviu cantar o hino, era ocasião das Diretas Já, que o povo saiu em massa as ruas. Ele dizia irritadíssimo, que o hino cantado daquela forma, era uma afronta a um simbolo nacional e que jamais poderia ter sido alterado como foi. Era um desrespeito a o sentimento patriótico do povo brasileiro.
Passado algum tempo, descobriu-se que ele, um respeitador nato dos símbolos da nossa querida pátria
salve, salve, agredia violentamente os filhos e a própria mulher que mais tarde pediu a separação. Ou seja, tem gente que respeita símbolos, como bandeiras, hinos, brasões, mas usa de violência contra a própria família. A hipocrisia é uma especie de doença que atinge a todos os seres humanos, independente do seu poder aquisitivo, função social, crença religiosa e mesmo orientação sexual, visto que algumas "bibas religiosas" viram o manifesto como uma afronta e Jesus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você pode fazer seu comentário clicando sobre o título da postagem onde será direcionado para Conversa Fiada, com espaço para a publicação da sua opinião. Ela será acolhida com atenção e carinho e sempre que possível respondidas.

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...