quinta-feira, 11 de setembro de 2014

COISAS DE PORTO ALEGRE.

Eu me pergunto o que faz a gente amar o lugar onde vivemos, se não é através das  nossas vivencias que vão sendo imprimidas no calendário do tempo que viram lembranças e geram saudades.
Meu colega e eu, resolvemos fazer uma brincadeira, ontem, que nos fez refletir também a quanto andava a nossa memoria com relação a coisas que nos marcaram na cidade e que hoje, algumas nem existem mais, como os engraxates espalhados no centro da cidade, os lambe-lambes, o Café Ryan, e a Confeitaria Matheus, local obrigatório depois de uma seção de cinema no Imperial ou Guarani...


Lembramos do Café Ryan que funcionava no andar térreo do Edifício Santa Cruz e que foi ponto de encontro de artistas, jornalistas e de gente que apreciava um gostoso cafe, num ambiente acolhedor e informal. Localizado no primeiro quarteirão, à esquerda de quem entra na Rua da Praia, vindo da Praça da Alfândega, na direção da Borges de Medeiros, fechou suas portas em Fevereiro de 1976, seis anos depois de circular o ultimo e também saudoso bonde elétrico da cidade.


Lembramos também dos lambe lambes que ficavam na Praça Parobé e dos engraxates que circulavam com suas caixas de madeira sobre os ombros, em volta do Mercado Público, para ganharem a vida, (alguns até com clientes fixos e de carteirinha). Qual das duas profissões acabou primeiro?.. "Isto faz parte de um tempo em que  não precisava pagar impostos para trabalhar" - me disse certa vez um velho conhecido e ex engraxate da cidade. Tempo em que se encontrava Érico Veríssimo e Moacyr Scliar caminhando na Rua da Praia, das vendedoras de flores entusiasmadas, dos guindastes barulhentos que içavam contêineres no Cais Mauá. São partes de uma história, que não deve ser apagada das nossas cabeças, com a borracha da modernidade necessária, mas que por vezes parece cruel.

“É inútil forçar os ritmos da vida. 
A arte de viver consiste em aprender a dar o devido tempo às coisas.”
Carlo Petrini - fundador do Slow Food.

Um comentário:

  1. Há pouco eu soube quem foi o dono do café Rhian. Um vovô muito simpático. O filho dele Rogério tem no seu álbum uma foto do seu saudoso pa. Abraçando-o.Louvável o grande amor que tem pelo seu velho pai. Eu perdi o meu em 03/11/2016 aos 85 anos. Ele deve ter conhecido este famoso "Café" pois trabalhou por muitos anos embarcado no caís do Porto. É muito triste qdo. ficamos sem as pessoas q/ tto. amamos. O meu pai teve um programa de rádio por 50 anos aqui na R.V.A. em Venâncio Aires, junto com minha mãe o nome era Bom Dia Rio Grande, tlz. record pelo tempo de um casal cantar, comandar 1 programa de rádio né? Eles começaram á cantar na Rádio Farroupilha no programa Grande Rodeio Coringa,comandado pelo seu Darci Fagundes e Luiz Menezes. Hoje ele o seu Rhian se encontraram lá no céu.Estão libertos de todo o sofrimento. Eu acredito. Parabéns ao autor do site. Comentei pois adoro recordar e ver fotos do passado. Fraterno Abraço!.

    ResponderExcluir

Você pode fazer seu comentário clicando sobre o título da postagem onde será direcionado para Conversa Fiada, com espaço para a publicação da sua opinião. Ela será acolhida com atenção e carinho e sempre que possível respondidas.

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...