segunda-feira, 21 de julho de 2014

UM PEDACINHO DA AFRICA EM PARIS

Se você já foi a Paris, deve ter se surpreendido, como eu, com o numero de imigrantes que circulam pela cidade com seus trajes típicos de seu país de origem, transformando a cidade europeia, num verdadeiro desfile de cores e exoticismo de chamar a atenção.
Pois saiba que apenas alguns minutos do badalado bairro de  Montmartre, bairro essencialmente de artistas de rua, onde localiza-se o Boulevard de Clichy, famoso pelos cabarés de Paris, entre eles o Moulin Rougefica a área de Chateau Rouge, um pedacinho da África situado no 18º distrito de Paris. 
A diferença entre os dois bairros é gritante, já que Chateau Rouge mostra o quanto a cidade francesa é cheia de diversidade cultural, despertando em quem o visita, muita curiosidade e fascínio.
Saindo da estação de metrô Chateau Rouge, você vai ver povos de origem africana, árabe, indiana e encontrar o melhor dessas culturas, em um mercado de rua, com frutas frescas e comidas típicas de cada país. Alem disto, encontrará lojas diferentes, que ostentam em suas vitrines tecidos com estampas coloridas e tribais africanas, assim como lenços, bolsas, túnicas, batas, echarpes, bijuterias e objetos de decoração.
O Château Rouge era um castelo ao norte de Paris que foi destruído no século 19, dando lugar a uma área que com o tempo foi se urbanizando e hoje tornou-se o quarteirão da Rua Goutte d’Or, (Gota de Ouro), na parte leste do 18º distrito - ( arrondissement), que abriga o mais conhecidos mercado africano da França e da Europa, popularmente chamado de “Dejean”.
Dejean é praticamente um mercado de alimentos com comidas típicas provenientes de diversas partes da África, mas junto dele, se aglomerou pequenas lojinhas que vendem de tudo, até mesmo perucas e restaurantes onde você pode experimentar uma variedade de comidas originarias dos países africanos. Numa passada por lá, você vai se surpreender e encontrar até a conhecida feijoada, que talvez não seja absolutamente igual a nossa, mas possivelmente vai dar para matar a saudades. Mas atenção, é preciso tomar cuidado com o que se fotografa. Devido a problemas de imigração, crimes e até religião, os moradores do bairro não gostam muito de serem fotografados. O mercado na Rue Dejean fica aberto todos os dias, exceto nas segundas-feiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você pode fazer seu comentário clicando sobre o título da postagem onde será direcionado para Conversa Fiada, com espaço para a publicação da sua opinião. Ela será acolhida com atenção e carinho e sempre que possível respondidas.

Você também pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...